Terapia de Casal

A terapia de casal destina-se àqueles que desejam trabalhar as dificuldades do relacionamento. As sessões podem ser realizadas com a presença de ambos os parceiros, mas também com atendimentos de cada um separadamente, alternando-se estas duas formas ao longo do processo.

O psicólogo ajuda na identificação dos pontos de conflito dentro da relação e a determinar quais as mudanças desejáveis, que podem ser tanto no modo de se relacionar, como nas características individuais. Nesse tipo de terapia, há componentes de mediação, componentes educacionais e de psicoterapia individual envolvidos, dependendo das dificuldades específicas enfrentadas.

O casal torna-se ciente de pontos de vista e modos de interagir e de se comunicar destrutivos para tentar modificá-los. O que pode levar o casal a uma crise? Sabemos que a convivência não é uma tarefa fácil. Muitos ajustes são necessários, considerando as diferenças de personalidade, de educação familiar e modos de ser. Nem sempre os casais conseguem dialogar produtivamente a respeito do que esperam em relação ao outro. Com os entraves da comunicação, as expectativas não são atendidas e as frustrações se acumulam com o tempo. A figura do terapeuta como mediador da relação facilita muito a resolução dos conflitos, proporcionando maior entendimento mútuo e, consequentemente, mais chance de êxito nas mudanças positivas necessárias à boa convivência. A falta de tempo e as pressões do trabalho podem afetar o relacionamento.

Casais muito ocupados podem acabar negligenciando a relação, se distanciando ou priorizando sempre outras partes de sua vida, levando às mágoas. Outras vezes, sentem-se cansados e esgotados quando chegam em casa e acabam não respondendo às necessidades de seus parceiros. Isso também se acentua quando o casal tem filhos pequenos. A infidelidade ou traição geralmente leva a uma crise, assim como o estresse que pode advir em fases de transição de vida. Violência doméstica também é um dos motivos para o casal procurar a terapia. Brigas ou discussões constantes, diferenças no grau de comprometimento entre o casal, dificuldades sexuais, uso abusivo de bebidas alcoólicas e drogas.

As dificuldades tomam a forma de uma crise, onde muitas vezes um ou ambos põem em cheque a continuidade da relação. No que a terapia de casal pode ajudar? Alguns dos objetivos na terapia podem ser:

  • Melhorar a comunicação;

  • Negociar e equilibrar as diferenças individuais dentro da relação;

  • Aprender a compartilhar responsabilidades dentro do relacionamento;

  • Desenvolver estratégias para manter e fortalecer o compromisso;

  • Acabar com a competição;

  • Entender as necessidades do outro;

  • Aumentar a compreensão sobre o modo de ser do outro;

  • Melhorar a qualidade geral do relacionamento e a satisfação conjugal.

 

Leva-se em conta que os problemas de relacionamento podem envolver ou alimentar problemas individuais. Por exemplo, brigas constantes levam a um estado crônico de irritação ou de ansiedade. Já um parceiro constantemente irritado ou ansioso por questões individuais (pressão no trabalho, por exemplo) fica mais predisposto a discussões na relação. Como é na prática? A primeira sessão com o casal e possivelmente uma com cada parceiro são utilizadas para o psicólogo poder entender o que está acontecendo e conhecer melhor cada um para isso.

A partir dessa avaliação inicial é que a terapia se desenvolve. Algumas vezes, um dos membros do casal prefere vir sozinho na primeira vez, o que também pode ser feito. As sessões são semanais, duram 50 minutos e dentro delas são enfocadas as dificuldades específicas que o casal está enfrentando. Alguns casais que estão passando por uma crise intensa preferem fazer sessões duas vezes por semana. É comum o psicólogo pedir para o casal realizar tarefas durante a semana (entre uma sessão e outra) para melhorar o relacionamento e modificar comportamentos e pensamentos que o esteja prejudicando. O psicólogo tenta entender os dois lados do problema, ajudá-los a conversar sobre isso, a buscar soluções conjuntamente. Ele tem estudo e treinamento para ser imparcial e respeitar ambos os parceiros e para auxiliar ao casal além de um aconselhamento leigo.

Para a terapia acontecer, ambos os parceiros devem desejar tentar melhorar a relação e estar revendo suas dificuldades através da psicoterapia.

O andamento da terapia é influenciado pela natureza dos problemas que o casal está enfrentando, pela intensidade e duração das mágoas geradas por eles, pela bagagem emocional e cognitiva de cada um, enfim, por muitas variáveis. É por isso que o comprometimento com a melhora da relação é importante. O casal deve entender que a satisfação no relacionamento compete a ambos. Transições e ciclo da vida Com o passar dos anos, os casais têm que se ajustar a várias mudanças relacionadas a diferentes eventos, como nascimento de filhos, adolescência, casamento dos filhos, mudanças de emprego e de residência, aposentadoria, crise de estágios de vida (crise de meia idade, por exemplo). Toda mudança requer um ajuste do indivíduo e gera certo nível de estresse, que quando não é bem administrado pode levar a desentendimentos. Casais com crianças novas A paternidade aumenta a responsabilidade e diminui o tempo livre do casal e eles têm que se ajustar ao novo papel. Há reflexos na área sexual e no entrosamento. Filhos adolescentes O casal tem que agir de comum acordo nas atitudes com os filhos, trabalhar com limites, aprender a ser firme e flexível ao mesmo tempo e adaptar-se à independência crescente que terá que dar ao filho adolescente.

O relacionamento começa a focalizar novamente mais no casal conforme o filho começa a criar independência. Saída dos filhos de casa A famosa “crise do ninho vazio” pode surgir, quando o casal passa a viver sem os filhos na mesma casa. Após a aposentadoria eles têm mais tempo disponíveis para seu relacionamento e para seus interesses pessoais. O fortalecimento do vínculo entre os dois pode ajudá-los a lidar melhor com o decréscimo das habilidades físicas e com a solidão potencial. Questões sobre crise no casamento Como uma pessoa percebe que o relacionamento está entrando em crise? Depende do motivo da crise. Podem começar a haver desentendimentos sem motivo, ou muitas brigas, ou um distanciamento de um dos parceiros sem motivo aparente, por exemplo.

Quais são os principais fatores que levam um casal a entrar em crise? Adultério, transformações pessoais que levam às mudanças de planos de vida, mudanças de ciclo de vida (nascimento de filhos, educação de filhos adolescentes, aposentadoria), e muitos outros. O que uma pessoa deve fazer quando perceber que o relacionamento está em crise? Primeiro o casal deve conversar a respeito, tentar chegar a pontos em comum para estar solucionando as divergências e/ou dificuldades. Caso não se consigam sair da crise sozinhos, é recomendável buscar ajuda profissional, antes que o problema avance mais.

Fonte: Instituto Hayslan Nicacio