MENTORIA

O psicólogo clínico lida com um conjunto de fatores que tornam o seu sucesso difícil de ser alcançado: excesso de profissionais no mercado, agenda oscilante, rotina irregular e dificuldade de gerar reconhecimento, por exemplo. Além das constantes exigências do aperfeiçoamento da técnica e do trabalho interno para suportar a condução de processos que envolvem sofrimento, este profissional tem que lidar com estratégias que irão definir em absoluto sua aceitação pelo público e pelo mercado. Infelizmente, o fato da maioria dos psicólogos clínicos não saber o que fazer para potencializar a movimentação de clientes/pacientes em seus consultórios acarreta frustrações profissionais, que acabam por ocasionar a desistência da prática clínica ou até mesmo da profissão.

Trabalho a mentoria como um serviço de diagnóstico constante do posicionamento do psicólogo, isto é, como uma ferramenta para avaliar desde aspectos básicos e subjetivos referentes à sua postura (confiança e clareza de quem é como profissional, assim como o que tem a oferecer para o público), tanto quanto problemas voltados ao insucesso de seus resultados por motivos objetivos que devem ser tratados segundo perfil, demandas, necessidade e metas pessoais. A mentoria pode ser feita individualmente ou em grupos de até 5 pessoas, em horário fixo semanal.

SUPERVISÃO CLÍNICA

A supervisão clínica visa o constante aperfeiçoamento profissional de psicólogos em formação e graduados, ou se presta a oferecer uma ajuda a um problema específico da prática que a pessoa esteja vivenciando. Entendo o processo de supervisão como tendo dois eixos principais: a técnica e a experiência.
Por um lado, o foco é dirigido para a dificuldade encontrada na condução do caso em questão, para a compreensão geral, para a forma de intervir, para o caráter da intervenção, as estratégias, o manejo, a postura. De outra forma, há uma necessidade de trabalho de escuta para apreender e entender as experiências do profissional é explorar como ele é afetado a partir do contato com o cliente e de sua narrativa.

O psicólogo precisa mapear suas experiências para a devida desidentificação com pessoa que lhe pede ajuda. A relação com o supervisor é uma relação especial e de confiança absoluta. Só é possível mostrar-se em suas dificuldades e falhas se há condições para que isto aconteça e, portanto, na relação deve haver segurança, admiração e abertura, elementos impossíveis de serem presentes quando existe ameaça. A mentoria pode ser feita individualmente ou em grupos de até 5 pessoas, em horário fixo semanal.

Fonte: Lucas Albertoni