Ejaculação Precoce

Primária: Quando desde o início da vida sexual o homem convive com impossibilidade de prolongar o coito

 

Secundária: Quando surge na vida do indivíduo que controlava bem

 

Situacional: No caso de só ocorrer em determinada situação, por exemplo, com uma parceira específica

 

Variável: Ocasionalmente experimenta uma ejaculação precoce. Não é um problema, mas uma variação do tempo de ejaculação do homem

 

Ejaculação precoce subjetiva: Onde existe um tempo de controle acima do limite de dois minutos, mas o paciente tem muita insatisfação com a duração do coito.

 

Sintomas de Ejaculação precoce

O primeiro sintoma de ejaculação precoce é quando a ejaculação acontece antes do esperado. No entanto, esse problema pode acontecer em qualquer situação sexual, inclusive durante a masturbação.

 

Geralmente pode se classificar a ejaculação precoce em duas categorias: primária e secundária. A ejaculação precoce primária é caracterizada por problemas identificados durante toda a vida do paciente. Veja:

 

  • Dificuldade de segurar uma ereção com menos de um minuto de penetração

  • Inabilidade de retardar a ereção durante o ato sexual

  • Estresse, frustração e o ato de evitar intimidade sexual com o parceiro.

Já na ejaculação precoce secundária, o homem manifesta exatamente os mesmos sintomas da ejaculação primária, com a diferença de que os sintomas nem sempre fizeram parte de sua vida sexual.

Homens que apresentam esse tipo de ejaculação precoce mantinham relações sexuais satisfatórias no passado e manifestaram o problema por algum motivo.

 

Tratamento e Cuidados de Ejaculação precoce

 

Ejaculação precoce: como resolver

Entre os tratamentos disponíveis, existem a terapia sexual, o uso de alguns medicamentos e psicoterapia. Para alguns casos, a combinação desses tratamentos pode funcionar melhor.

Terapia sexual para ejaculação precoce

 

Neste caso, algumas medidas simples bastam, como masturbar-se uma ou duas horas antes da relação sexual para retardar a ereção durante o ato. (Note bem: Isso é apenas uma técnica de retardar a ejaculação, não uma prática da masturbação).

 

Evitar a penetração por um tempo e a descoberta de novas fontes de prazer sexual também pode ser uma saída para tirar a pressão da penetração.

 

Dica: Alguns homens não tem o hábito de utilizar das preliminares, para que a parceira sexual seja estimulada e esteja pronta para o ato sexual. Não podemos descartar as oportunidades, vale lembrar da rapidinha. Mas para evitar a ejaculação precoce, será importante no período de Terapia e tratamento evitar essa prática.

 

Técnica do aperto

A técnica do aperto consiste em estimular sexualmente o homem até que ele reconheça que está quase ejaculando. Nesse momento, aperta-se suavemente a parte final do pênis (onde a glande se encontra com o eixo) por vários segundos.

Pare a estimulação sexual por cerca de 30 segundos e comece novamente. A pessoa ou o casal pode repetir esse padrão até que o homem queira ejacular. Na última vez, continue a estimulação até que o homem atinja finalmente o orgasmo.

Dica: Geralmente essa técnica será mais satisfatória se o homem for estimulado pela sua parceira sexual, pois os sensores cerebrais receberão e agirão melhor a esse tipo de estimulo.

 

Método “parar e começar”

O método “parar e começar” é praticamente idêntico à técnica do aperto. Esse método consiste em estimular sexualmente o homem até que ele sinta que está quase atingindo o orgasmo. Pare a estimulação por cerca de 30 segundos e comece novamente. Repita esse padrão até que o homem queira ejacular. Na última vez, continue a estimulação até que o homem atinja o orgasmo.

 

Medicamentos se necessário.

Antidepressivos podem ser úteis porque um de seus efeitos colaterais é prolongar o tempo necessário para chegar à ejaculação. No entanto, esses medicamentos devem ser receitados por especialistas, como urologistas ou psiquiatras.

Você também pode aplicar uma pomada anestésica local no pênis para reduzir o estímulo. (uma bastante utilizada é a xylocaína 5% - Lidocaina 50mg/g. O uso de uma camisinha "preservativo" sem efeito retardante poderá ser usado, evitando que o anestésico toque a mucosa vaginal da parceira sexual.

 

 A diminuição da sensibilidade no pênis pode retardar a ejaculação. Usar preservativos também com efeito retardante é uma boa opção para evitar a ejaculação precoce. Para alguns homens essa opção é muito bem aceita.

Se as técnicas de distração causarem dificuldades para manter a ereção, os medicamentos usados para a disfunção erétil podem ajudar.

 

O trabalho do Terapeuta

 

Caso o terapeuta através de alguns testes perceba que haverá necessidade de um profissional da medicina. Será encaminhado para um médico Urologista ou Psiquiatra para que o mesmo possa receitar medicação que auxilie no tratamento da ejaculação precoce.

 

As sessões de terapia contribuirá para que o paciente possa reduzir a ansiedade e a encontrar métodos eficientes de evitar o estresse e contornar problemas.

Se esses fatores forem solucionados, a atividade sexual do indivíduo pode melhorar significativamente.

 

A ansiedade é um dos fatores predominantes quando estamos lidando com Ejaculação Precoce, qualquer tipo de atividade que consiga gerar relaxamento é válida. Muitos profissionais recomendam, junto com a terapia básica, ioga, acupuntura, pilates, aulas de música, pintura e outras atividades que afastem o indivíduo da rotina e do estresse cotidianos. Todavia a ressalva é a mesma mencionada anteriormente: não como terapia única!

Por isso, a base do tratamento da ejaculação precoce está no apoio psicológico e terapeutico, medicação que age no cérebro onde ficam os núcleos de controle da ejaculação e medidas para reduzir a origem dos estímulos excitatórios no pênis

 

Medicamentos para Ejaculação precoce

Ejaculação precoce tem remédio?

Os medicamentos mais usados para o tratamento de ejaculação precoce são:

  • Anafranil

  • Clomipramina

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique.

 

Caso o seu Terapeuta já te encaminhou para um médico, siga a sua prescrição e não interrompa o uso do medicamento sem consultá-lo.

 

Remédios caseiros para ejaculação precoce

A ereção ocorre, basicamente, devido o direcionamento do sangue para o pênis, o que preenche seus corpos cavernosos e dá suporte para o órgão ficar ereto. Por isso, acredita-se que alimentos que estimulem a circulação possam ajudar em casos de ejaculação precoce.

 

No entanto, como o problema é multifatorial, não são garantidos.

Alho: O alho tem diversas propriedades interessantes para a saúde, inclusive a sexual. "Ele tem ação anti-inflamatória, antibacteriana, anticoagulante e se atribui a ele também propriedades afrodisíacas. Sua ação anticoagulante melhora a circulação sanguínea o que pode se refletir na ereção", considera a nutróloga Andreia Guarnieri

 

Bebida de açafrão, gengibre e leite: O leite serve mais como base para essa mistura, mas as duas especiarias têm funções que justificam serem apontadas como remédios caseiros para ejaculação precoce. O açafrão tem grande prestígio como estimulante sexual nos países do Oriente, pois tem efeito vasodilatador, além de supostamente promover aumento da sensibilidade da região genital. Já o gengibre também favorece a circulação do corpo, ajudando também a melhorar a qualidade das ereções

 

Banhos de assento com alecrim: O relaxamento é fundamental para quem sofre de ejaculação precoce, por isso a nutróloga Andreia acredita que os banhos de assento com alecrim podem ser um bom tratamento caseiro. O alecrim é conhecido como revigorante e banhos de assento com alecrim fresco ajudam a 'sedar' os órgãos genitais e promovem relaxamento físico e mental.

 

Convivendo/ Prognóstico

Duas técnicas são normalmente utilizadas para tratar a ejaculação precoce. Elas também ajudam a reduzir a ansiedade, que muitas vezes agrava o problema. Cada técnica treina o homem a experimentar altos níveis de excitação, sem ejacular. Ambos envolvem a estimulação do pênis até que o homem sente que irá ejacular em breve.

Na técnica parar-e-começar, a estimulação é interrompida. Com a técnica de aperto, o homem ou sua parceira aperta por 10 a 20 segundos a parte do pênis onde a cabeça (glande) se encontra com o eixo, evitando a ejaculação e diminuindo a força da ereção. Em ambas as técnicas, a estimulação pode retomar após cerca de 30 segundos. Com a prática, mais de 95% dos homens aprendem a retardar a ejaculação entre 5 e 10 minutos ou mais.

 

Observação: Na consulta com o Terapeuta você receberá todo material para fortalecimento do musculo PC, e outras técnicas para o tratamento da ejaculação precoce.

 

Ejaculação precoce tem cura?

Como se livrar da ejaculação precoce

Tente essas técnicas durante as relações sexuais. Seguir à risca as orientações do seu Terapeuta e praticar os métodos aprendidos são a melhor saída para problemas de ejaculação precoce.

A ejaculação precoce crônica pode ser um sinal de ansiedade ou depressão. Nesse caso a visita em um psiquiatra será solicitado pelo seu Terapeuta.

 

Sintomas

Buscando ajuda para ejaculação precoce

Converse com seu Terapeuta se você ejacular mais cedo do que você deseja durante a maioria dos encontros sexuais. É comum os homens se sentirem envergonhados em discutir questões de saúde sexual, mas não deixe que isso o impeça de conversar com seu terapeuta. A ejaculação precoce é um problema comum e tratável.

Se a ejaculação acontecer antes do esperado uma ou outra vez, não há motivo para preocupação. Mas se este for um problema recorrente, talvez seja a hora de procurar por ajuda. Não tenha vergonha de admitir o problema. O quanto antes der início ao tratamento, mais rápido você se livrará dele.

 

Saiba mais: 

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram,

  • Doenças, Uso de medicamentos,

  • Suplementos que você tome com regularidade.

O Terapeuta provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Com que frequência você tem ejaculação precoce?

  • Quando você experimentou a ejaculação precoce pela primeira vez?

  • Você experimenta a ejaculação precoce quando se masturba?

  • Você tem ejaculação precoce toda vez que faz sexo?

  • Com que frequência você faz sexo?

  • Quanto você está incomodado com a ejaculação precoce?

  • Quanto seu parceiro(a) está incomodado com a ejaculação precoce?

  • Quão satisfeito você está com seu relacionamento atual?

  • Você também está tendo problemas em obter e manter uma ereção (disfunção erétil)?

  • Você toma medicamentos prescritos?

  • Você usa drogas recreativas?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para ejaculação precoce, algumas perguntas básicas incluem:

  • O que pode estar causando minha ejaculação precoce?

  • Quais testes você recomenda?

  • Qual abordagem de tratamento você recomenda?

  • Quanto tempo depois de iniciar o tratamento posso esperar a melhora?

  • Estou em risco de ter esse problema recorrente?

  • Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Ejaculação precoce

A conversa com o terapeuta basta para ele obter informações importantes para te ajudar a resolver seu problema de ejaculação precoce, e se for necessário fazer o encaminhamento para um médico especialista, afim de que ele possa realizar o diagnóstico, juntamente com um exame físico completo e uma conversa um pouco mais aprofundada sobre seu histórico de saúde.

 

Se você apresentar ejaculação precoce e, ao mesmo tempo, problemas em manter uma ereção, o médico poderá solicitar alguns exames de sangue para checar os níveis de testosterona na corrente sanguínea.

 

 

Tenório Ferreira

Terapia Familiar Sistêmica

Sexualidade

Especialista em Ejaculação Precoce e Disfunção Erétil

watsapp (32) 98819-9098

 

 

"NÃO FAÇA USO DE MEDICAMENTOS E TÉCNAS APLICÁVEIS AO TRATAMENTO SEM ORIENTAÇÃO DE UM TERAPÊUTA OU MÉDICO INDICADO"

 

"SUA SAÚDE SEMPRE PROLONGADA" 

Disfunção Erétil

A disfunção erétil (impotência sexual) é a dificuldade permanente do homem em obter ou manter uma ereção, podendo sinalizar doenças crônicas.

Muitos homens se assustam quando não conseguem manter uma ereção e, apesar de isso ser normal de vez em quando, esse acontecimento pode ser um sinal de que há algo de errado no corpo ou na mente do paciente. Se ocorre freqüentemente (uma vez a cada 4 relações sexuais), o ideal é buscar ajuda terapêutica ou um médico especialista.

Estima-se que a impotência sexual afeta 12% dos homens abaixo de 60 anos de idade, desmistificando a ideia de que se trata de um problema da idade. No entanto, é um fato que ele é mais freqüente nos homens acima de 40 anos: entre os maiores de 70 anos, o problema ocorre em 30% dos homens.

 

As causas da disfunção erétil são bastante variadas, podendo ser de origem física (como doenças vasculares), psíquica (como ansiedade e depressão), ou até mesmo relacionadas ao estilo de vida (como o tabagismo).

Atualmente, existem vários tratamentos para a disfunção erétil, e ainda há outros sendo estudados. Por isso, não tenha vergonha de visitar um terapeuta para uma avaliação inicial descartando através de testes psicológicos as causas mentais que poderão estar influenciando para a disfunção erétil. Após essa avaliação o terapeuta identificando que existe também causas físicas, o terapeuta encaminhará o pacienta para um médico urologista de sua confiança. Caso você sofra do problema: com o tratamento terapêutico e médico, você só tem a ganhar!

 

Como ocorre a ereção?

Às vezes ela surge do nada, noutras ela precisa de estímulos eróticos bem definidos para acontecer. De qualquer forma, a ereção depende de um mecanismo bastante específico para funcionar.

O pênis é composto por três tubos longos: dois corpos cavernosos que ficam lado a lado e um corpo esponjoso que abriga a uretra, localizado na parte de baixo do órgão.

Os corpos cavernosos são os responsáveis pelo aumento do volume e rigidez durante a ereção. Quando o órgão está relaxado, eles se assemelham mais a uma esponja seca e maleável. Já quando há ereção, o cérebro envia sinais para que as artérias da região sejam dilatadas, liberando mais sangue dentro desses tubos. Então, os corpos cavernosos são encharcados de sangue e aumentam de volume e rigidez, como uma esponja em contato com a água.

Esse aumento do volume nos tubos faz com que os corpos cavernosos “apertem” as veias que drenam o sangue do pênis, garantindo que o sangue fique lá, deixando o órgão rígido e volumoso para manter-se ereto por mais tempo.

Qualquer dificuldade nesse processo, desde os sinais nervosos até as dilatação das artérias, pode causar uma disfunção no mecanismo erétil.

 

Causas

A disfunção erétil está ligada a uma grande quantidade de causas, poucas delas verdadeiramente relacionadas diretamente ao pênis. Algumas são mais comuns em certas idades, enquanto outras podem acontecer a qualquer momento. Entenda:

 

Psicológicas

 

A ansiedade é uma reação fisiológica normal nos momentos em que é preciso desempenhar algo. No entanto, ela pode ocorrer em momentos inoportunos e isso configura um transtorno psicológico.

No que tange a ereção, a ansiedade prejudica essa função por conta da liberação de adrenalina na corrente sanguínea. Esse hormônio faz com que os vasos sanguíneos fiquem mais estreitos e, por isso, o sangue tem dificuldades para chegar até o pênis.

 

Depressão

Outro transtorno psicológico relacionado à ereção é a depressão, caracterizada por intensa tristeza e perda de interesse em atividades prazerosas. Sabe-se que, em muitos casos, a depressão diminui a libido e, conseqüentemente, a ereção fica dificultada.

 

Estresse

Situações estressantes liberam diversos hormônios na corrente sanguínea que atrapalham a circulação até o pênis.

 

Orgânicas

Problemas vasculares

Como a ereção depende do fluxo de sangue para o pênis, qualquer condição que atrapalhe esse processo pode ser a causa da disfunção erétil. Alguns desses problemas são o endurecimento das artérias (arteriosclerose) que costuma acontecer com a idade, derrame cerebral, hipertensão, problemas cardíacos e colesterol elevado.

Problemas neurológicos

Lesões na medula espinhal, esclerose múltipla e a degeneração dos nervos são todas condições que podem estar ligadas à impotência sexual. Isso porque, não raramente, essas condições cortam o caminho dos nervos, impedindo a chegada de sinais nervosos até o pênis, ou até mesmo danificam os próprios nervos penianos.

 

Problemas hormonais

Os desequilíbrios hormonais, em especial a falta de "testosterona", influenciam muito na possibilidade de ter uma ereção de qualidade.

 

Priapismo

O priapismo é uma condição na qual surge uma ereção não causada por desejo sexual, com duração atipicamente longa: 4 horas ou mais. Geralmente, isso acontece por conta de uma entrada anormal ou impedimento da saída do fluxo sanguíneo no pênis, gerando uma ereção prolongada.

O problema é que essa condição danifica os tecidos do pênis, o que pode, posteriormente, resultar em disfunção erétil.

 

Diabetes

Não raramente, a diabetes causa danos nos nervos ou nos vasos sanguíneos que levam o fluxo de sangue até o pênis, impedindo a ereção.

 

Medicamentos

Existem diversos medicamentos que têm como efeito colateral a impotência sexual. Anti-hipertensivos, antidepressivos e diuréticos são apenas alguns exemplos.

 

Cirurgias e radioterapia

Alguns procedimentos cirúrgicos podem ser a causa da disfunção, especialmente aquelas realizadas no abdômen, como cirurgias do intestino grosso, do reto, entre outros. O tratamento radioterápico na área pélvica também pode ser culpado. Cirurgias na próstata, em especial, são as que têm mais chances de desencadear o distúrbio.

Isso acontece porque esses procedimentos podem danificar nervos e vasos sanguíneos relacionados ao processo de ereção.

 

Doença de Peyronie

Mais comum após a meia-idade, a doença de Peyronie é caracterizada pela formação de uma placa de tecido duro ao longo dos tubos interiores do pênis (corpos cavernosos). Essa placa impede a flexibilização do órgão e dificulta a ereção, assim como causa o “encurvamento” do mesmo.

 

Traumas penianos

É muito raro que o pênis seja alvo de um trauma, mas isso acontece. Quando ereto, os corpos cavernosos se tornam tão duros que podem ser quebrados, da mesma maneira que um osso. Por isso, não estranhe se ouvir alguém dizendo que “quebrou o pênis”: isso é, de certa forma, possível.

No entanto, esse tipo de trauma ocorre apenas quando o pênis está ereto. Quando mole, os corpos cavernosos são maleáveis e suportam vários tipos de impactos. Por isso, a situação mais comum em que esses traumas ocorrem é justamente a relação sexual.

 

Estilo de vida

Consumo de álcool

O álcool é uma droga depressora do sistema nervoso central que, quando consumida em excesso, provoca o relaxamento dos músculos. Esse relaxamento ocorre no nível do pênis também, que se encontra incapaz de manter uma ereção pelos músculos não conseguirem se manter tensionados.

 

Tabagismo

O tabagismo é um dos grandes fatores de risco para o surgimento da impotência sexual, sendo uma das maiores causas do problema na população mais jovem. Isso porque o tabaco traz alterações no sistema vascular, podendo impedir a chegada do sangue até o pênis.

 

Fatores de risco

De uma maneira geral, os fatores de risco ligados à disfunção erétil são os mesmos de doenças cardiovasculares. Isso até faz sentido, se formos pensar que a ereção é o fluxo intenso de sangue no pênis. Por isso, alguns fatores são:

Idade

Embora não haja qualquer indício de que a impotência sexual esteja relacionada ao envelhecimento, os problemas cardiovasculares são mais comuns a partir dos 40 anos de idade.

 

Obesidade

Fator de risco bastante significativo para doenças cardiovasculares, a obesidade também pode dificultar a ereção.

Diabetes

Estima-se que metade dos homens portadores da diabetes possuem, também, algum grau de disfunção erétil.

 

Hipertensão

A hipertensão (níveis elevados de pressão arterial) está ligada a casos de disfunção erétil grave.

 

Colesterol elevado

A possibilidade do colesterol “entupir” as artérias (aterosclerose) pode ser um fator de risco para a impotência sexual.

 

Transtornos mentais

A presença de qualquer transtorno mental pode aumentar muito os níveis de estresse do homem, que pode acabar sofrendo com disfunção erétil.

 

DISFUNÇÃO ERÉTIL PSICOLÓGICA

Pouca gente sabe, mas uma das causas mais comuns da disfunção erétil é psicológica, e às vezes nem está relacionada a transtornos mentais em si!

Os homens crescem tendo sua sexualidade exaltada, como se o bom desempenho sexual fosse sinônimo de valor. Não é raro vermos homens que se acham “fracassados” por não encontrarem uma parceira ou por ainda serem virgens.

Deste modo, a pressão psicológica relacionada à sexualidade masculina é muito grande e, muitas vezes, isso acaba atrapalhando o desempenho sexual, gerando crises de ansiedade e medo.

Além disso, homens que têm dificuldades em encontrar parceiras podem sofrer com baixa auto-estima e depressão devido à importância que a sociedade dá a esse aspecto.

 

Hoje em dia, não é raro ouvirmos falar em doenças psicossomáticas, ou seja, doenças que começam na mente mas que se manifestam no corpo. Muitas vezes, a disfunção erétil não é nada mais nada menos que uma doença desse tipo.

Alguns terapeutas/psicólogos acreditam que a disfunção erétil pode estar relacionada a traumas da infância relacionados à rejeição e desaprovação dos pais, especialmente na fase em que o menino começa a se masturbar. Muitos pais não entendem que a masturbação infantil é um processo natural de descoberta do corpo e acabam desaprovando o comportamento do menino.

Essa rejeição gera sentimentos de culpa que impedem que o menino adquira prazer através da manipulação dos genitais, fazendo com que a energia psíquica não descarregada no prazer fisiológico seja descarregada na doença.

Sendo assim, podemos ver como o "psicológico" influencia muito na capacidade de adquirir e manter uma ereção de qualidade. Por isso, não se assuste caso o médico indique um tratamento baseado apenas com psicoterapia e medicamentos psicotrópicos.

 

Disfunção erétil em jovens

Existe um certo estigma que trata a impotência sexual como uma coisa da idade, mas isso não é verdade. Por ser, muitas vezes, causada por doenças crônicas que aparecem antes ou a partir dos 40 anos, muitas pessoas acreditam que é a idade que causa o problema. No entanto, pessoas jovens com as mesmas condições também podem apresentar o distúrbio.

Vale lembrar que as causas da disfunção erétil nos homens mais novos está mais relacionada ao estilo de vida — uso de drogas, consumo de álcool e tabaco — e problemas psicológicos que o jovem pode ter. Se um homem com menos de 40 anos apresenta impotência, dificilmente o problema estará relacionado a doenças cardíacas, hipertensão e diabetes.

No entanto, isso não quer dizer que o surgimento do problema no homem mais jovem não precisa ser investigado: ele pode sim ser um sinal de que há algo de errado no corpo. Caso o problema seja de origem psicológica, o tratamento de condições mentais pode ajudar bastante na qualidade de vida geral do paciente.

 

Sintomas

Se você pensa que a disfunção erétil significa simplesmente que o pênis não fica duro, você está enganado! Existem diversas maneiras que a impotência pode se manifestar. Entenda:

Incapacidade em obter e manter a ereção

O sintoma mais clássico da disfunção erétil é a incapacidade de obter a ereção: não importa quantos estímulos estão presentes, o pênis simplesmente não fica ereto!

Outras vezes, ele até consegue ficar ereto, mas por pouco tempo. Passam-se poucos minutos e ele já começa a voltar para o estado flácido.

 

Demora para conseguir uma ereção

Em certos casos, o homem até consegue ter uma ereção duradoura, mas ela demora para acontecer. Esse tempo pode aumentar até mesmo dependendo da posição.

Ereção pequena ou rigidez insuficiente

Muitas vezes, o mecanismo de ereção até funciona, mas não consegue juntar sangue o suficiente para que o pênis aumente consideravelmente seu volume e fique verdadeiramente rígido. Nesses casos, ele parece ficar estagnado no meio do processo de ficar ereto.

 

Ejaculação precoce

Embora possa ser um distúrbio completamente diferente, às vezes a ejaculação precoce se faz presente na impotência sexual. Ela pode ocorrer pouco tempo após o pênis conseguir uma ereção ou até mesmo durante uma ereção parcial.

Ausência de ereções espontâneas

Você certamente já ouviu falar que, às vezes, o pênis fica ereto do nada, não é mesmo? Pela manhã ou durante o sono, esse é um fenômeno comum que significa simplesmente que o corpo está trabalhando bem durante o sono e que a saúde sexual do homem está perfeitamente bem.

É normal que o homem passe 20% do tempo do sono com o pênis ereto. No entanto, homens com disfunção erétil podem ter menos tempo de ereção durante o sono ou simplesmente não apresentá-la.

Dificuldade em manter a ereção com diferentes parceiros(as)

Homens que possuem mais de um(a) parceiro(a) sexual podem ter dificuldades em manter a ereção com alguns e, com outros, não. Isso pode acabar limitando sua vida sexual, além do fato de que o problema tende a reaparecer e comprometer, também, esses relacionamentos nos quais consegue ter ereção normalmente.

 

Outros sintomas relacionados

Alguns outros sintomas que não fazem parte da impotência sexual mas que podem estar relacionados ao problema são:

  • Curvatura acentuada do pênis;

  • Redução dos pelos corporais;

  • Atrofia ou ausência dos testículos;

  • Crises de ansiedade.

Diagnóstico:

No geral, o diagnóstico da disfunção erétil pode ser feito pelo próprio paciente, ao perceber que o fenômeno acontece durante várias relações sexuais. No entanto, esse auto-diagnóstico não possibilita que o paciente saiba a causa do problema e, nessas situações, deve procurar ajuda seja terapêutica ou médica.

Devido hoje as condições psicológicas estarem bastante afetada por situações, para além do controle emocional, que incluem estresse, dificuldade nos relacionamentos, problemas financeiros e etc. A visita inicial em um terapeuta é de grande importância para uma avaliação das causas psicológicas, com isso o terapeuta/psicólogo, poderá contribuir bastante para um especialista médico, onde será feito exames descartando todas as possibilidades físicas que estão contribuindo para a disfunção erétil.

 

Tratamento

O tratamento depende muito das causas subjacentes da doença. No entanto, existem alguns métodos específicos para o problema. São eles:

Mudanças no estilo de vida

Homens que fumam, bebem e usam drogas devem parar com esses hábitos para conseguir restaurar o fluxo sanguíneo no pênis. Além disso, um estudo publicado no British Journal of Sports Medicine defende que a prática de exercícios físicos melhora a disfunção erétil. No entanto, estes só devem ser realizados com liberação médica.

 

Psicoterapia e psiquiatria

Se o problema é psicogênico, o tratamento com um terapeuta/psicólogo é uma das melhores alternativas. O psicoterapeuta é o especialista em saúde mental capaz de identificar e tratar os distúrbios e transtornos mentais que podem levar a uma impotência sexual.

O paciente pode, também ser encaminhado para consultar-se com um psiquiatra, que trata os transtornos da mente com medicamentos. Vale lembrar que, nesses casos, o tratamento terá uma melhor resposta, quando se trabalha em parceria. Portanto não fique ansioso, aguarde seu terapeuta encaminhar você para um profissional da medicina.

 

Referências

http://www.healthline.com/health/erectile-dysfunction
http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/erectile-dysfunction/home/ovc-20314087
http://www.webmd.com/erectile-dysfunction/guide/vacuum-constriction-devices#1
NAVARRO, F. Somatopsicopatologia. São Paulo: Summus Editorial, 1996.

 

Tenório Ferreira

Terapia Familiar Sistêmica e Sexualidade

Disfunção Erétil e Ejaculação Precoce.

©  2023 Psicologia Clínica JF. 

Tel. watsapp (32) 98823-0081 - Marli Ferreira

  • YouTube ícone social
  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • Twitter

Rua Rei Alberto, 108 Sala 1204 - Centro - JF - MG

Tel. watsapp (32) 98819-9098 - Tenório Ferreira

  • YouTube ícone social
  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • Twitter